sábado, 26 de novembro de 2011

Minha Poesia.



Uma Noite!...

Hoje é uma das noites,
gélida...
Sonâmbulo, só,
no escuro difuso,
me encontro silente,
ofegante, junto à janela...
...a vidraça embaça!...
Da minh’alma,
os olhos e os ouvidos
contemplam e ouvem.
Da matéria?
Nada!...
Que mundo é esse?...
De onde ouço risadas...
...gargalhadas...
De insanos murmúrios...
De volúpias de prazeres...
De orgias irreveláveis!...
De recônditos sofreres,
de onde ouço gemidos:
dos desvalidos,
dos esquecidos,
são gemidos de fome,
de frio, muito frio...
de angústia, muita angústia...
de dor, muita dor, pelas
vidas que se esvaem.
De pais e filhos
que se apartam!...
Ouve-se ao longe...
abafados suspiros,
entre primeiros e
últimos suspiros...
daqueles que ficam;
daqueles que partem!...
Vidas extratestuais:
dos orçamentos,
dos meus textos,
das revistas,
dos jornais!...
Ainda na janela, acordo.
Volto ao meu mundo!
...a este mundo real...
...quero falar, dizer tudo...
...a voz... ...não digo...
...e a penúltima lágrima cai!

                 
Delmar Fontoura.

4 comentários:

  1. Márcia Barcellos da Cunha27 de novembro de 2011 12:07

    Somente um coração sensível poderá pensar assim,com tanta emoção. PARABÉNS! Obrigada Márcia

    ResponderExcluir
  2. Márcia!

    Fico agradecido pelos reconhecimento e carinho... ...ao primeiro meu agradecimento, ao segundo minha retribuição. Você, Márcia, é muito gentil.

    Meus agradecimentos,

    Abraços,


    Delmar Fontoura.

    ResponderExcluir
  3. Márcia Barcellos da Cunha28 de novembro de 2011 15:06

    Delmar Fontoura,

    Neste mundo tão agitado e demasiadamente voltado para os interesses materiais, necessário se torna a busca por outras questões, com um conteúdo que alimente mais o mundo interior de cada um de nós. E isto fica evidente em suas postagens. Mais uma vez, receba meus parabéns por nos oferecer palavras que são como bálsamo. Sempre leio seus textos no BLOG DO HUGÃO. Um grande abraço. Márcia

    ResponderExcluir