quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

À Amiga Márcia Barcellos!

Penso, que no texto abaixo você descobrirá onde "esta" aquele lugar que chamou de “maravilhoso” ao comentar “ As Bougainvílleas”...

Meu Infinito...
 
“A Metáfora de Minha Jornada”.

Meu pensamento, liberto como um corcel alado e selvagem, com a soberba de sua indomável rebeldia, voa sobre: mares, nuvens, bosques, pradarias, colinas, trigais e jardins em manhãs de orvalho serenado, rumo ao infinito… …e talvez vá tão longe, que ultrapasse meu espaço e tempo e espalhe, com suas asas, o pó que sobrar de mim e tiver sido levantado por seu tropel…

Um pouco além, no inexorável do infinito desse espaço e tempo, já quando me encontrar na irreversibilidade do eterno, o corcel, tendo ultrapassado os meus, ultrapassará, também, os seus limites de selvagem, quando, passando do vôo ao galope... ...e deste ao trote trôpego, tombará inerte!… ...Estará então cumprida minha jornada...



Delmar Fontoura.



Um comentário:

  1. Márcia Barcellos da Cunha28 de dezembro de 2011 16:57

    A parte imaterial de seu ser material mostra com clareza toda caminhada que chega ao fim e vitoriosa se entrega à eternidade, quem sabe, outros estágios da vida. Lugares esses, que nos levam a outra dimensão...A escadaria florida retrata bem essa idéia. Sou encantada com "As Bougainvílleas"...O belo caminho rumo ao infinito é misterioso e atraente ao mesmo tempo. LINDO! LINDO! Grande abraço ao amigo Delmar Fontoura. Márcia

    ResponderExcluir