quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Uma Sociedade de Corruptos.


 A Gênese
          Ultrapassamos o auge da transição em que forças políticas dominadoras nos transformaram em uma sociedade de corruptos, já estamos em queda livre para a depravação social; onde “os homens ou são aliciados ou aniquilados (Maquiavel)”; onde são igualmente indecorosos os que, sendo desonestos forçam para aparentar honestidade e outros, se dizendo honestos, são, ao mesmo tempo, indiferentes à desonestidade e passam a conviver “mansamente” com ela!... 
 
       Parafraseando Sartre podemos dizer que as forças do Neolulopetismo já se colocaram acima de nosso controle individual, num caminho aberto pela corrupção do aparelhamento político para modelarem a Sociedade e nossas vidas... 

       Esse “monstro” já abriu seus tentáculos sobre todos os segmentos da sociedade... ...no fim ‘dos nossos’(sic) tempos ele causará mais danos, por tantos ou mais anos, a semelhança dos males causados pela ambiguidade dos vinte anos de exceção que vivemos em consequência dos desvios do Regime Militar. Como não podemos cortar sua evolução só nos resta esperar o tempo para ter nossos corpos e dignidade dilacerados por esse mal... 
O Mal
       Todos já sabemos que esse mal se abriga sob o manto protetor do Neolulopetismo, que chegou ao ponto, de não se preocupar mais em se esconder sob a redoma que sempre o protegeu, pois, seus agentes, não importa se acobertados ou não, se consideram intocáveis... ...porque não existe força social ou entidade do Estado, entre elas a própria Justiça, capaz de detê-las... ...e isso esta acontecendo sob nossos olhos... ...Defrontamo-nos com essa “terrível” realidade... ...comparável a perigos que a ficção, na arte e a história, através dos tempos, vêm-nos “esfregando na cara”, mas na bestialidade da ignorância social ninguém percebe.  

Para a sociedade os agentes desse mal se apresentam, subliminar e sub-repticiamente, com a imagem do supremo bem, mas escamoteiam e fundamentam-se em um surrealismo maquiavélico para maximizar o que apresentam como sendo suas virtudes e minimizar o que não admitem serem seus defeitos; em contrapartida “satanizam” seus adversários políticos como se fossem inimigos pessoais, quando maximizam destes o que atribuem serem defeitos e minimizam virtudes... ...a ponto de proporem suas extinções sumárias!...     

       Mas os vendilhões e os compráveis, agentes dessas falcatruas e legatários da propinagem, facilmente identificáveis, tudo fizeram e fazem mancomunados com a massa dos naturais corruptíveis imbecis da sociedade, entorpecendo as percepções e ou os valores morais!... 

       O que afirmo não é, apenas, superlativo de ideias abstratas, mas o compêndio do que o Neolulopetismo vem apresentando para a política convencional e para a sociedade ao longo de seus trinta anos de existência... ...tempo em que, subliminar ou sub-repticiamente e ou ostensivamente, tentam cercear o exercício de nossa soberania e o democrático direito de nos manifestar!... 

       Delmar Fontoura.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário