sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

É Carnaval.


  Amor de carnaval. 

Imploro! Quarta-feira de cinzas,
até o último acorde do samba,
não vás embora sem despedida
desse nosso encontro casual!  

Se fores! Irás sem mais um beijo,
sem completar nosso affair e
entre confetes e serpentinas
morrerá um amor de carnaval!.. 

Delmar Fontoura.
   

5 comentários:

  1. Márcia Barcellos da Cunha20 de fevereiro de 2012 15:07

    O carnaval sob este foco fica completamente diferente do que vivenciamos atualmente, a loucura generalizada.Grande abraço. Márcia

    ResponderExcluir
  2. Márcia Barcellos da Cunha20 de fevereiro de 2012 16:49

    Delmar,
    Como seria agradável substituir o desequilíbrio que presenciamos aos bons momentos tão bem sugerido pelo bonito poema postado. Temos que buscar a poesia em todos os campos da vida que é uma grandiosa oportunidade de fazer o Bem. Obrigada. Márcia

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Amiga Márcia!

    Não existem palavras feias,
    Existe o feio das palavras!...

    ResponderExcluir
  5. Márcia Barcellos da Cunha21 de fevereiro de 2012 16:38

    Amigo Delmar! Concordo com vc, pois "o feio das palavras" demonstra o que temos no coração. Qual será o material que cultivamos em nosso mundo interior? Qual é o objetivo da nossa palavra? Derrubar ou levantar? Penso que aí entra o " feio das palavras." Um abraço e bom feriado. Márcia

    ResponderExcluir